Librelato participa de Ciclo de Palestras do Unibave

19.06.2012

Diretor presidente José Carlos Librelato e o coordenador de contabilidade, Creoni Borguezan Perin ministraram duas palestras durante evento realizado pelo Unibave.

 

Fazendo a abertura do Ciclo de Palestras do curso Ciências Contábeis do Unibave, o diretor presidente da Librelato, José Carlos Librelato e o coordenador do setor de contabilidade, Creoni Borghezan Perin, realizaram na última segunda-feira (11), as palestras Uma Trajetória de Sucesso e Governança Corporativa - Empresas Librelato, no Centro de Vivências do Museu ao Ar Livre Princesa Isabel.

Durante sua apresentação, José Carlos falou sobre as dificuldades e realizações na sua carreira. Contou que aos 17 anos de idade traçou 17 objetivos em sua vida, que hoje já foram alcançados, mas que nem por isso deixou de sonhar. "Sinto muito orgulho em ter realizado tudo o que tracei na época, no entanto, depois disso vieram outros sonhos que buscamos realizar diariamente. Sonhos esses que não sonho só, mas com todos os colaboradores e com a comunidade onde estamos inseridos", declara o diretor. 

Atualmente, a Librelato possui cinco unidades produtivas, em quatro cidades de Santa Catarina, Orleans, Içara, Criciúma e Capivari de Baixo. "Minha maior satisfação é poder oferecer empregos a 1575 pessoas, ver a satisfação dos clientes e colaboradores e saber que é através do meu trabalho e de minha equipe que muitas pessoas conseguem sustentar suas famílias", completa o empresário.

Já a palestra sobre Governança Corporativa, possibilitou aos alunos conhecer um pouco mais sobre o assunto e como ele é aplicado pela Librelato. Entre as razões para uma empresa implantar a governança, citou-se fatos como, vantagens que se obtém quando se busca o equilíbrio de interesses nas decisões, a existência de núcleos de controle (vários organismos existentes no sistema GC), principalmente a sua capacidade de manter a cultura da empresa que a levou ao sucesso e também a competência de construir visões estratégicas de longo prazo. Os gestores modernos veem na governança corporativa um sistema para alavancar competências de seus membros e organismos e aumentar a probabilidade de sucesso dos empreendimentos e o fato da atração de novos sócios ocorrer crescentemente através da oferta de ações com direito de voto.

"A Governança Corporativa surgiu na metade dos anos 90, nos Estados Unidos, devido aos escândalos financeiros envolvendo grandes organizações que divulgaram informações contábeis maquiadas para atraírem investidores. Em resumo, ela pode ser definida como o processo de criar um ambiente de controle dentro de um modelo balanceado de distribuição do poder", explica o Perin.